sábado, 5 de outubro de 2013

Tantra- Voce é Shiva e Shakti

Este é um dos textos mais antigos que foi concebido através de mim. Deve ter uns 07/08 anos. De fácil leitura e compreensão. Estou segura que apesar da simplicidade, pode impulsionar muita gente, por isso estou compartilhando ele aqui neste blog.Se voce ainda não conhece, vale a pena conhecer. Se ja conhece, talvez queira relembrar e quem sabe agora, ter uma nova compreensão. Abençoado(a) seja voce. Namastê!
É difícil falar em Tantra, aqui no Ocidente, pois as mentes estão muito sexualistas, interpretando tudo o que é dito, como querem. Infelizmente estão fazendo do Tantra, um manual de posições sexuais para se atingir o orgasmo, mas Tantra não é nada disso.
Na minha visão, esta filosofia antiga trata-se de consciência de si mesmo e de tudo o que lhe rodeia. Tantra é estar na sociedade, sem se envolver com ela, é amar qualquer forma de vida, deixando-se levar com a correnteza até que se torne o próprio mar!
Tantra é viver sem expectativas do porvir; é viver Aqui e Agora, é respeitar o território alheio....Meditação...Oração...Celebração...Tantra!
Se você vive desta forma, então você é tântrico. Mesmo que nunca tenha conhecido o ato sexual tântrico, você o é.
Outro dia recebi um texto no Orkut, onde um garoto dizia que já tinha lido diversos livros sobre Tantra, mas prefere o Zen, porque não tem uma parceira para praticar o Maithuna (ato sexual tântrico). O garoto ao menos arrancou do meu rosto, inúmeras gargalhadas!
Ler é conhecimento. O conhecimento pode ser necessário até um certo ponto, mas o Tantra é para poucos, porque ele é o abandonar dos conhecimentos, é viver sem tomar quaisquer decisões., por isso é que poucos se interessam verdadeiramente por ele. Podem se interessar por sexo, e dizer que praticam Tantra; no entanto um número pequeno busca o reconhecimento de si mesmo por meio desta filosofia deliciosa e única
Além disso, no meu ponto de vista, se uma pessoa não é capaz de compreender a pureza do Tantra, jamais compreenderá o Zen, pois os dois parecem diferentes na periferia, mas estão interligados.
Primeiro é necessário dar o primeiro passo. Não queira chegar ao final da escada sem antes passar pelo primeiro degrau. Isto é enganar a si mesmo. Não é Tantra e nem é Zen. É somente mais um truque do ego para não se comprometer com o Desconhecido; para não aceitar a insegurança da vida!
Entretanto, se você é capaz de soltar as amarras; de sentir a brisa tocar em seu rosto; de apreciar a lua, sem julgamentos, então você é Tântrico e também é Zen. Você está além dos rótulos; é masculino e feminino; shiva e shakti. Neste caso, você está pronto para uma compreensão mais profunda do si mesmo. (Chandra V. Ram)

Nenhum comentário:

Postar um comentário