sábado, 5 de outubro de 2013

Tantra- O Tantra distorcido no Ocidente

Ter um blog somente sobre Tantra, me permite muitas coisas, dentre elas, compilar alguns dos textos que escrevi durante estes anos de prática, estudo, pesquisa e muita dedicação na senda tântrica. Este texto é também um dos mais antigos, com quase uma década e está infelizmente, cada vez mais atual. Hoje, acrescentaria mais algumas coisas nele, mas ao invés disso, escrevi outros. Fique sempre a vontade aqui. leia, reflita, questione, medite e mude!!!
Om Shantih Paz!

Aqui no Ocidente, ao se pronunciar a palavra Tantra, observa-se diversas reações nos ouvintes. A grande maioria, associa rapidamente o Tantra ao sexo, orgias, sexo grupal, bacanal, drogas, putaria, sexo livre etc. Uns por este motivo, se interessam de pronto, buscando materiais eróticos, visitando sites sem confiabilidade alguma e fazendo pesquisas para obter um ´´melhor orgasmo´´ na hora da transa. Esses são os sexólatras que buscam no Tantra uma forma de extravasar suas repressões e moralidade inconcientes.

Existem também os curiosos. Estes vêm até o Tantra, lêem alguns livros e por vezes participam de grupos de vivências tântricas, mas não despertam nenhum interesse real e sincero pelo Tantra quando percebem que o Tantra não se trata de nada do que pensava, voltando à velha rotina.

Há também um terceiro grupo. Trata-se de jovens que usam ´´o que eles chamam de Tantra´´ para se voltar contra a sociedade, visto que o mesmo é uma filosofia libertária; entretanto eles têm uma má compreensão do assunto, confundindo liberdade com libertinagem. Dessa forma, associam ao Tantra, o uso de Êxtase, LSD, cocaína e outras drogas que oferecem algum vislumbre de felicidade e êxtases momentâneos. Assim, misturando músicas eletrônicas, com sexo livre e drogas, desrespeitam seu corpo e prejudicam suas mentes e espíritos, tornando-se escravos de estimulantes para se manterem ´´aparentemente despertos´´. Esses jovens que desrespeitam tudo o que está a sua frente e tudo o que é belo, aproveitam-se da liberdade que o Tantra oferece para criarem ´´modinhas´´ que nada tem a ver com o Tantra, visto que o tantra aponta para uma vida saudável e amorosa, respeitando a natureza, cuidados com o corpo através de exercícios, boa alimentação através de frutas (se possível sem ingerir carnes de bichos mortos), práticas de respiração e muita meditação.

Um quarto grupo trata-se dos supostos conhecedores que aqui denominaremos como ´´achadores´´. São pessoas que já conheceram várias filosofias, passaram por diversas religiões, leram inúmeros livros ´´sagrados´´, mas que, ao se deparar com o Tantra, fogem como ´´ratos apavorados´´. Isto acontece porque o Tantra não se preocupa com o porquê das coisas, mas com o como. O tantra aponta para a desrepressão, para a busca do si mesmo e não de métodos objetivando uma vidinha mais agradável.

O Tantra diz que você é perfeito como é, que você tem o que tem que ter e está onde tem que estar.

Se você está preso(a) ao sexo, o Tantra jamais dirá: abandone isso, pois sabe que a repressão é uma das causas de a sociedade estar como está hoje. E a sociedade é a principal responsável pela existência de maníacos, estupradores, pedófilos, prostituição etc.

Ao contrário, o Tantra diz que você pode usar esta energia (sem disperdiçar) a seu favor, visando o despertar da sua própria consciência, e lhes dá métodos reais para a sua transformação.

Esta é a principal razão que faz com que os ´´achadores´´ abominem o Tantra, pois no fundo, muitos têm medo de descobrir que estão mais presos a matéria do que imaginavam e de que todos os seus esforços para serem ´´bons´´, de nada valeram.

Porém, existem outros ´´achadores´´, um pouco mais ousados, mas que nunca experimentaram realmente o tantra, e jamais receberam qualquer tipo de iniciação, dando grupos tântricos e vivências (alguns até mesmo iniciando outras pessoas) e considerando-se Mestres desta arte de amor que é o Tantra. Passando adiante conhecimentos errôneos, abusando da inocência das pessoas e utilizando falsamente o tantra para conseguir sexo fácil e dinheiro.

O Quinto grupo (e raro) trata-se dos verdadeiros buscadores. Estes não estão interessados em conhecimento emprestado, mas em reconhecer no aqui-agora que são o que tem que ser; Iluminados. São aqueles que experimentam de verdade. Não estão interessados em pregações pois já compreenderam que a menos que lhes seja dado métodos eficazes, nada é transformado. São aqueles que buscam iniciações fortes e reais a fim de se reconhecerem.

Os tântricos vêem o Divino em tudo e isso causa uma enorme confusão naqueles que não estão buscando de verdade. O Sagrado e o Profano já não são mais dois, mas sim pólos da mesma energia que se completam. O Tantra não diz que isso é bom e aquilo é mau, não diz que isso é certo e aquilo é errado; não vê divisão alguma. O Tantra diz para que você esteja consciente de tudo o que acontece com você. Não desperdice sua energia com pequenos ensinamentos; com regras do que fazer e de como proceder perante as situações apresentadas pela vida. Ele não cuida do que você faz e sim do que você é.

Como não se conhece o Tantra apenas estudando, poucas pessoas o compreendem profundamente.

Como diz o Mestre Osho: ´´O Tantra é para todos, mais poucos são para o Tantra´´. (Chandra Veeresha)

Nenhum comentário:

Postar um comentário