quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Massagem Tântrica- Terapia ou Pornografia?


Massagem Tântrica: Terapia, Sensualidade ou Pornografia?
Por: Chandra Veresha & Anand Milan

A Massagem Tântrica faz parte da Medicina Integral Indiana, sendo utilizada principalmente para prevenir ou tratar distúrbios da sexualidade. O corpo todo deve ser tocado e massageado por inteiro, cada parte com a mesma devoção. Aquele que recebe esta massagem é levado a um tipo de prazer muito mais energético do que físico, aceitando melhor o próprio corpo e aprendendo a se enxergar como divino. Como “braço” do Tantra, o autoconhecimento é inevitável, além da quebra de conceitos ligados à sexualidade.
A humanidade tem usado a sexualidade de forma doentia, graças há milênios de pura repressão.

Por outro lado, o Tantra não é indulgente com o sexo. O Tantra só nos diz para que comecemos de onde estamos. Se o sexo é uma prisão, ele vai deixar de ser no momento em que voce começa a perceber isso. E a Massagem Tântrica tem um papel importante para esta percepção. É aí que entram os Terapeutas e Massoterapeutas Tântricos. Nosso compromisso espiritual é o de auxiliar cada cliente nesta autodescoberta.

O sexo tornou-se uma doença e hoje existem inúmeras disfunções e distúrbios relacionados a ele. Se forem tratados, os resultados são excepcionais tanto para o cliente quanto para os que convivem com ele. A pessoa se torna mais solta, viva e amorosa. É assim que alguém que recebe uma Massagem Tântrica como forma de Terapia, fica: Desperto e Consciente. E é assim que a Massagem Tântrica deve ser utilizada. Para auxiliar as pessoas a se autocurarem!

É inevitável deixar de falar do aspecto sensual desta fabulosa massagem. Acontece que assim como cegos não podem guiar cegos, doentes não curam doentes. O (a) terapeuta antes de tudo deve estar em paz com sua sexualidade, de forma que ao entrar em contato com o corpo do (a) cliente, consiga vê-lo como a própria divindade à sua frente, independente da sua beleza física.

Sensualidade e pornografia são coisas absolutamente distintas. Sinto-me envergonhada quando um cliente em potencial me pergunta se eu (também) faço programa. Isso é lamentável.

Lamento por ele e pelas pessoas que se prestam a isso utilizando o nome do Tantra e da Massagem Tântrica para outros fins doentios, afinal, os desavisados satisfazem seus prazeres e ainda pagam por isso!
São esses pseudotântricos que precisam de tratamento. De um tratamento de choque!
Quero mais é que o Tantra se propague, mas de forma responsável. Cansei de me calar ao ver espaços que se denominam “terapêuticos” oferecerem corpos das terapeutas como se fossem carne à exposição! (Basta digitar Massagem Tântrica no Google e ir em imagens e voce verá com seus próprios olhos).

Hoje mesma vi num site com nome bastante sugestivo, fotos das “terapeutas” de lingerie vermelha, com cinta liga e outros absurdos!
Uma coisa é voce utilizar a Massagem Tântrica com seu parceiro. Se este é o objetivo, tem mais é que abusar dos estímulos mesmo, tal como falo nos cursos de Arte Sensual Tântrica que dou. É outro foco. Não se trata de um curso para terapeutas. Outra coisa é chamar isso de atendimento terapêutico.

Só me falta saber que antes de uma massagem nestes espaços, “terapeuta” e cliente assistem juntos um filmezinho pornô! Não falta mais nada!
Quanta miséria. Miséria de espírito!

Sensualidade é uma coisa natural, que nós trazemos de dentro para fora. Uma pessoa (homem ou mulher) que é naturalmente sensual é linda. É carismática. Atrai as pessoas sem esforço.
Pornografia é uma coisa feia e nada tem a ver com Tantra. Liberdade não é nem nunca foi o mesmo que libertinagem!
E é graças a pessoas assim, terapeutas ou não, que o Planeta está como está, com tantas catástrofes, estupros, pedofilia, sexolatria (vício em sexo), traições, mentiras etc. E são essas mesmas pessoas que ao invés de cuidar da sua energia pessoal (meditar, praticar yoga, artes marciais, etc) e estudar mais, limitam-se a copiar propostas de cursos e atendimentos de pessoas que trabalham sério para oferecer seu melhor enquanto terapeutas. Se meditassem ao menos um pouquinho, teriam energia criativa de sobra para melhorar suas vidas e a vida de quem os procura. Afinal, este é o compromisso do terapeuta. Tornar melhor e mais feliz a vida alheia, sem jamais, se abandonar.
Utilizar a energia sexual de forma irresponsável é muito pior do que jogar toneladas de lixos tóxicos nos rios. Quem desconhece as energias, é incapaz de imaginar!

Outro dia, conversando com uma dessas Terapeutas Tântricas, perguntei se ela praticava o que ensinava com seu parceiro, e a resposta foi a imaginada: ´´Não. Ele nem se quer gosta dessas coisas. Com ele nem se quer tenho abertura para praticas tântricas.´´ E então eu insisti e perguntei: Voce então pratica com outra pessoa né?. E ela disse: ´´Também não, na verdade nunca pratiquei nada do que ensino. Bem que eu gostaria, mais tem as crianças, o marido, e o trabalho, ai nem me sobra tempo. Além do mais,meu marido nem sabe direito como é meu trabalho, pois ele é super ciumento.”
Quase cai de costas na cadeira. Uma pessoa que ensina Tantra há anos para as pessoas, tem espaço, faz divulgação e nem se quer sabe o que pode acontecer (porque nunca pratca) quando alguém faz determinada prática? Que absurdo!Fiquei desnorteada!
Mas ela é o inicio do fio; é o começo de uma Teia quebrada; suja; apodrecida e abandonada. Dos espaços que aparecem na primeira página de pesquisas do Google sobre Massagem Tântrica, 90% é enganação, manipulação mental, sexo fácil e prostituição.
5% são lugares sérios, com pessoas competentes, e os outros 5%, são pessoas que ainda não se decidiram se vão aqui ou ali: se sobem ou descem do muro.

Então, o Tantra que é um remédio tem se tornado um veneno. É por isso que tradicionalmente ele só é transmitido na íntegra, para iniciados.
E é por isso que hoje, me limito a falar sobre Tantra somente nos meus cursos e textos. Aquele que busca algo realmente transcendental, vai até a fonte. Estou certa disso!
Não se trata de egoísmo, mas de “não jogar pérolas aos porcos!”
Fico triste por essas pessoas. Mas continuo fazendo meu trabalho, ao lado do meu companheiro Anand Milan, com o mesmo carinho de quando iniciamos. Continuamos aqui, no nosso “galho”, fazendo nossos atendimentos, dando nossos cursos e eventos com a mesma garra e disposição. Sempre expressamos nossas opiniões e nos posicionamos em relação a tudo e esse é um assunto que estava mais do que na hora de ser expresso, afinal, calar-se neste caso, seria o mesmo que consentir com tanta sujeira!
Mas como confio de olhos fechados no Universo, jamais farei qualquer coisa para agredir essas pessoas, até porque ahinsa (não violência) é um princípio tântrico e esta é somente a minha percepção em relação ao que tenho observado. Mas espero contribuir através também dos textos que escrevo para que todos reflitam. No mais, só me resta vibrar para que ao acordarem, tenham força para apoiar as mãos no chão e se levantar.

Om Loká Samastha Sukino Bhavantu (Que todos os seres sejam felizes)!

Nenhum comentário:

Postar um comentário